Como lidar com a ansiedade antes das provas

ansiedade nas provas

Vou te contar uma história que talvez seja familiar pra você. “Há algumas semanas, talvez até há alguns meses, um estudante se prepara pra uma prova. Seu planejamento foi eficaz e realista, e ele estudou todos os temas que provavelmente cairão. Acertou a maioria das questões na revisão e sabe que domina o tema. Mas alguns dias antes dessa prova, bate a famosa ansiedade. Aparece aquele friozinho na barriga e a dúvida: ‘Será que eu vou mandar bem? Será que eu vou passar?’”

E aí, essa história é conhecida?

Afinal, quem é essa tal ansiedade?

A ansiedade antes das provas é um sentimento que quase todo – senão todo – estudante já viveu. E esse sentimento também é bem conhecido do professor Rodrigo Rodrigues, que lida com muitos estudantes todos os dias. Produtor Verificado da nossa rede, ele é formado em Geografia e Especialista em Educação e Gestão do Conhecimento

E, para o Rodrigo, a ansiedade –  que pode aparecer também nesse contexto de pré provas – não é, por si só um problema.

 “O grande problema é quando ela está num nível elevado, que você não consegue controlar.” 

Para Rodrigo, a saúde emocional anda de mãos dadas com a saúde física  e tem um impacto essencial no processo de aprendizagem. Para ele, buscar fugir das emoções – como a ansiedade – não é o caminho.

“Emoção é inerente ao ser humano. Não existe a possibilidade de não sentir emoção. A grande sacada é o que eu vou fazer com essa emoção que eu tô sentindo.”

Inteligência emocional

O quoeficiente emocional, como já vem sendo chamado por estudiosos, é justamente a habilidade de lidar com as as suas emoções. E essa inteligência pode ser tão crucial quanto uma inteligência técnica na hora de vencer um desafio como uma prova, por exemplo.

Rodrigo sugere que caminhar para um estado de equilíbrio emocional é um bom meio para controlar a ansiedade. Para isso, ele sugere algumas práticas:

1. Pratique o estado de presença

Para isso, é preciso se entender e conhecer os ambientes e atividades que te trazem tranquilidade. A prática da meditação, mesmo simples, com 10 minutos de atenção plena ao seu corpo e respiração, já é um bom caminho pra isso. Tente fazê-la diariamente, dentro do seu cronograma de atividades.

2. Foque apenas no que está no seu controle

“Será que vai cair algo que eu não estudei?” “E se eu acordar com dor de cabeça? “E se me der branco na hora da prova?”

Focar nesse tipo de questões que estão totalmente fora do seu controle vai alimentar uma realidade paralela, que alimenta a ansiedade. Foque em mentalizar tudo que você pode fazer para ter um bom resultado. Relembrar o quanto você estudou, se organizar para ter tudo pronto na hora da prova e chegar na hora certa. Essas são funções que você pode controlar e vão trazer uma sensação de tranquilidade.

“O caminho é focar no que está sob o seu controle, no que você conhece e pode mudar, se preciso.”

3. Crie um cronograma de atividades realista

Se focar no que você pode controlar é a chave, nada melhor do que uma organização pra isso, certo? Defina uma lista de atividades diárias e seus horários de estudo. E, claro, comece sempre a estudar pela matérias que tem maior importância para você. Assim, se houve algum imprevisto, o estudo daquele tema está garantido.

4. Respeite os horários do seu corpo e aproveite o melhor deles

Nem todos os estudantes têm a liberdade de escolher em que horário estudar. Mas para os que podem, usar os horários de maior concentração e energia, ajuda muito a otimizar os estudos. Geralmente, nosso corpo começa o dia com maior energia e vai se acalmando até à noite, na hora de dormir. Tire o melhor dele durante esses horários.

Além disso, durante à noite, evite começar atividades que “ligam” seu cérebro de novo. Como ver tv e mexer no celular antes de dormir. A luz e as informações farão seu cérebro entender que ainda não é hora de descansar, e isso atrapalha seu sono.

5. Mini hábitos são o caminho para hábitos duradouros

Acredite, a rotina é melhor do que seu nome faz parecer. Ter uma rotina diária ajuda seu corpo a entender e se otimizar nas tarefas do dia a dia. Sejam elas estudar, trabalhar ou se exercitar.

Para criar uma rotina, o melhor caminho é inserir pequenos hábitos aos pouquinhos. Não tem o costume de estudar diariamente? Comece com uma hora por dia. Depois, cresça esse tempo até atingir o que considerar um período ideal. O mesmo vale pros exercícios e outras atividades.
Assim, você consegue atingir suas pequenas metas.

“A evolução é mais viciante que glicose na veia.” Quando vemos resultados, nos estimulamos a continuar. Se criamos uma meta muito inatingível logo de cara, desanimamos, e desistimos de vez do processo.

6. Entenda a causa da sua ansiedade

Quando falamos de uma ansiedade produzida por hábitos e rotinas que nos deixam ansiosos, a mudança desses hábitos pode ajudar muito! No entanto, quando falamos de uma causa patológica, o tratamento com um profissional da saúde mental é essencial.

Por isso, se você considera que sua ansiedade vai além do que você pode mudar por si mesmo, busque ajuda! Muitas universidades oferecem atendimento psicológico gratuito ou a preço popular. Você não está sozinho.  💛