Diminua a ansiedade na pandemia do coronavírus

ansiedade e coronavírus

A pandemia do novo coronavírus vem mexendo com a sociedade. Não é pra menos: a doença tem se alastrado rapidamente por todo o mundo, exigindo medidas rigorosas de isolamento social. Nesse momento tão delicado em que estamos, é essencial cuidar não só da saúde física, mas também da saúde mental, e evitar a ansiedade.

A sensação de incerteza, preocupação com o contágio e toda a mudança de rotina podem causar angústias e ansiedade quanto ao futuro. 

No Brasil, em especial, a questão da ansiedade já era preocupante antes mesmo da pandemia: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), somos o país mais ansioso do mundo. Diante disso, como diminuir esse sentimento aflitivo para lidar com a situação atual de uma forma mais saudável?

1) Evite o excesso de informação

Não é à toa que essa é a primeira dica: ela é como o feijão com arroz para diminuir a sua ansiedade. 

Que o avanço tecnológico trouxe inegáveis benefícios com a difusão de informações, nós sabemos. Mas essa mesma instantaneidade pode estimular ainda mais a ansiedade

Com diversas notícias chegando a todo segundo, nossa mente é constantemente bombardeada de estímulos. Isso alimenta a preocupação com o futuro, o que gera sensação de angústia, típica de um estado emocional ansioso.

Ana Carolina Dias, psicóloga clínica e mestranda em Psicologia Social pela UERJ, conta que isso pede muito cuidado na hora de se informar:

“O fluxo intermitente de informações vindas de diversos locais pode trazer informações divergentes. Atente-se a isso! Cuide dos locais onde você tem adquirido informação sobre a pandemia. Boatos geram incertezas, ansiedade e prejudicam o fluxo sadio de informações importantes. Evite fake news, informe-se em canais confiáveis”, aconselha.

E se você está com muita dificuldade de focar no momento presente, a meditação pode ser uma grande aliada sua. Há vários aplicativos gratuitos para você realizar a prática, como, por exemplo o Lojong. Grandes personalidades, como Bill Gates e Oprah Winfrey, recomendam esse hábito para ter mais tranquilidade no dia a dia. Que tal seguir a recomendação? :)

2) Criar uma rotina pode ajudar a gerenciar a ansiedade

Organizar a agenda e saber o que será feito durante a semana dá uma sensação de controle e ajuda a diminuir a ansiedade. Sua rotina mudou com home office ou educação à distância?

Prepare-se para o dia como se fosse a rotina tradicional: acorde, tome banho, coloque uma roupa apropriada para o trabalho e regularize seus horários. Se você trabalha, qual era seu horário no escritório? Tente segui-lo normalmente.

Mesma coisa com os estudos: se você tinha aulas de 8h às 14h, por exemplo, considere esse horário. Isso vai te ajudar a manter o foco e o ritmo ;)

3)  Faça exercícios físicos

Movimentar o corpo em tempos de quarentena é possível, pode acreditar! E mais fácil do que parece. Você não precisa ter uma estrutura de academia para fazer exercícios físicos, basta garantir que constantemente estará se movimentando.

Quer exemplos? Se liga só: você pode brincar com os cachorros, dançar suas músicas favoritas, pular corda, arrumar a casa, caminhar no seu condomínio (se não houver movimentação de pessoas, claro), subir e descer escada (se a sua casa tiver alguma)… as possibilidades são várias. 

Ah! E se você estiver procurando uma série de exercícios mais profissional, diversas academias já estão disponibilizando aulas online. É só pesquisar no Google e você encontrará vários aplicativos bacanas ;)

4) Entenda e acolha seus medos

Entender, classificar e nomear medos é uma estratégia de inteligência emocional. Quando sabemos de onde vem o medo e o porquê de ele nos afetar, lançamos um olhar racional para a situação, o que equilibra nossas emoções.

Acolher esses medos também é importante. E por quê? Porque quando negamos ou evitamos algum medo, ele tende a se tornar mais intenso. 

Já viu o filme “A Origem”, com Leonardo DiCaprio? Ele tem uma frase que ajuda a compreender essa afirmação. Se eu digo: “Não pense em elefantes”, no que você pensou? Em elefantes, certo?

É a mesma lógica quando você tenta negar algum sentimento: isso só faz ele aumentar. Por isso, é preciso reconhecer e entender a origem do problema para, então, combatê-lo.

E esse processo pode ser feito de uma maneira lúdica, como explica a psicóloga clínica Leonora Berrini da Fonseca:

“Costumo brincar com alguns pacientes que podemos dar uma forma imaginária para sentimentos mais desafiadores, como o medo, e convidá-lo para tomar um café, tentando entender de verdade da onde vem aquele sentimento. Ganhamos mais equilíbrio interior quando aceitamos que está tudo bem não ter controle sobre tudo e quando aprendemos a abraçar nossas vulnerabilidades”, afirma.

5) Leve os momentos de lazer a sério

Parece um paradoxo, mas a ideia é essa mesma. Assim como você leva sua rotina de trabalho e estudos a sério, também é importante criar uma rotina de lazer e levá-la a sério também

Inclua seus hobbys na agenda. Reserve um tempinho para consumir conteúdos leves, faça videoconferência com seus amigos e familiares distantes, acompanhe canais de entretenimento e dê boas risadas. 

Esses momentos de lazer são fundamentais para a sua sanidade mental. E lembre-se sempre: cuidar das emoções é uma estratégia de prevenção a qualquer doença, pois isso ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Mente sã, corpo são. Vamos cuidar das nossas emoções? :)