Coronavírus: o que é e como combater a pandemia?

imagem feed coronavírus

Com razão, só falamos nele: COVID-19, mais conhecido como coronavírus. Em menos de um mês, o vírus chegou ao Brasil e foi contraído por mais de 300 pessoas até agora. Ao redor do mundo, já são mais de 190 mil confirmações de infectados.

Embora possa parecer apenas um problema de saúde pública, a disseminação do coronavírus pode ser impactada por cada um de nós. Mas por quê? O que temos a ver com a pandemia?

Antes da resposta, é importante entendermos o vírus, o conceito de pandemia e, claro, nosso papel nesse cenário crítico. Vem com a gente!

Afinal, o que é o coronavírus?

Descoberto no final de dezembro de 2019, o COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo Coronavírus, uma família viral que causa desde resfriados comuns até infecções respiratórias

Embora quase 80% das infecções desse vírus sejam leves, a rápida taxa de transmissão é o que preocupa: desde dezembro, mais de 90 mil pessoas foram contaminadas no mundo inteiro. Esse crescimento exponencial levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretar pandemia no dia 11 de março. 

O que é uma pandemia?

A pandemia ocorre quando um vírus já foi disseminado por vários continentes. Ou seja, a pandemia nada mais é do que a evolução global das epidemias, que têm apenas atuação local. A última pandemia que tivemos foi do H1N1, em 2009.

Por que essa pandemia é um problema sério?

O coronavírus, por sua capacidade de transmissão rápida e efetiva, é um problema sério porque infecta muita gente em pouquíssimo tempo

Para você ter uma ideia, segundo um pesquisador da Universidade de Oxford, um indivíduo com coronavírus pode contaminar até 5 pessoas.

Como grande parte das pessoas reage ao vírus de forma assintomática, são exatamente essas pessoas as responsáveis por ⅔ das contaminações

E existe mais um agravante: o coronavírus é transmitido até 5 dias antes de os sintomas aparecerem. Ou seja, o controle do contágio é ainda mais difícil.

Outro problema grave (e talvez o maior de todos) é o risco de sobrecarregar o nosso sistema de saúde, que já é frágil. 

Imagine se milhares de pessoas ficassem fortemente gripadas ao mesmo tempo? Haveria leitos suficientes? Não há sistema de saúde que dê conta. Por isso, a situação é grave e pede ações individuais, coletivas e governamentais rigorosas.

Mas, temos boas notícias! Um estudo da revista The Economist mostrou que a propagação do coronavírus pode ser fortemente desacelerada se as medidas de proteção forem respeitadas, como mostra o infográfico abaixo:

gráfico transmissão coronavírus

Quais ações tomar para combater essa pandemia?

Se você gosta de ajudar as pessoas e colaborar para um mundo melhor, esse é o momento para colocar essas virtudes em prática :)

No cenário atual, ações individuais simples têm efeitos coletivos super positivos. Fique de olho nelas:

– Fique em casa

Sim, sabemos que isso é muito difícil, ainda mais em uma cultura tão sociável como a nossa. E também sabemos que, dependendo da natureza do trabalho, alguns empregos não permitem o trabalho à distância.

Mas, se você puder ficar em casa pelos próximos dias, pode ter certeza de que essa é uma das melhores ações que você pode tomar. Isso mantém distância social, evita aglomerações e diminui, assim, a disseminação do vírus. 

Lembre-se sempre: você pode não ser um grupo de risco, mas idosos e pessoas com alguns problemas de saúde são. O que para você pode ser apenas um resfriado, para o outro pode ser um risco de vida. Ficar em casa, portanto, é um gesto de empatia.

– Lave as mãos

Mas é lavar beeem as mãos, viu? Pode parecer óbvio, mas não é. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma boa lavagem de mãos leva de 40 a 60 segundos. E como fazer essa lavagem correta? 

Primeiro, antes de passar o sabão, molhe bem as mãos (isso ajuda a absorver melhor o sabão). 

Depois, além de lavar as palmas da mão, lave também as costas dela, entre os dedos, o polegar, as unhas e siga ensaboando a mão até a altura do pulso

Por último, se possível, feche a torneira com o cotovelo ou com uma toalha de papel (isso diminui mais ainda o risco de contaminação). 

Não toque o rosto sem ter lavado as mãos

É tentador para a maioria das pessoas. Afinal, quem não passa a mão no rosto, na boca e nos olhos de vez em quando? 

Mas essa é uma das formas mais eficazes de desenvolver o vírus. Por isso, evite esse contato com o rosto se não estiver com as mãos bem lavadas, beleza?

– Limpe seu celular

Sim, esse que você usa e abusa durante o dia. A limpeza é bem simples: primeiro, desligue o aparelho. 

Depois, pegue um lenço ou pano e passe álcool 70%. Aí, é só passar no aparelho todo (frente, costas e laterais)

Especialistas recomendam fazer essa higienização pelo menos 3 vezes ao dia.

– Evite contato com idosos e grupos de risco

Como comentamos no comecinho desse texto, grande parte das pessoas que pegam coronavírus têm sintomas muito leves – ou até mesmo nenhum sintoma. 

Por isso, é fundamental evitar contato com idosos e grupos de risco (pessoas com asma, bronquite e outros problemas respiratórios) para não correr o risco de contaminá-los.

– Cuide da sua saúde mental

Sim, cuidar da sua saúde mental fortalece o sistema imunológico e ajuda a combater o vírus 💪

Por isso, como dicas de ouro sugerimos a prática de exercícios regulares (mesmo em casa é possível, viu?), sonos regulares, meditação e cautela ao consumir informações. 

Hoje, temos acesso instantâneos às notícias, o que pode causar muita ansiedade. 

Procure reservar horários específicos para se informar e reserve um tempinho também para conteúdos de entretenimento. Isso é bastante importante para equilibrar a mente!

Aqui, na Passei Direto, a empatia e a colaboração são alguns dos nossos principais valores. Esse é um grande momento para colocarmos isso em prática. 

Se cada um fizer sua parte, podemos conter essa pandemia e minimizar seus efeitos. Vamos juntos? 🧡

Fontes:

Saiba o que é uma pandemia

SUS – Coronavírus

Como detectar o coronavírus

Coronavírus e a transmissão