Protagonismo negro no cinema: 5 filmes imperdíveis para você maratonar!

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Você sente falta de protagonismo negro quando vai ao cinema?

Esse é um problema muito sério na nossa sociedade.

No entanto, existem muitos filmes com personagens negros como protagonistas que não receberam tanta atenção.

Por isso, o Ubuntu, nosso grupo de afinidade para pessoas pretas aqui na Passei Direto, montou um compilado de 5 filmes para que todos possam assistir!

Esse é o momento de mudar seus hábitos de consumo, impulsionar a arte preta e curtir esses e outros títulos fundamentais.

Por que o protagonismo negro é tão importante?

Você sabia que, no Brasil, as pessoas negras representam mais de 50% da população do país?

No entanto, quando você olha para as telinhas, é possível perceber que a presença de pessoas pretas ainda é bem baixa.

E quando a produção audiovisual tem personagens negros, é bem raro que sejam em papéis de destaque.

Pense um pouco: quantas novelas, filmes e séries você conhece que tem protagonismo negro?

Essa pergunta, mesmo que incômoda, te faz pensar um pouco na situação da sociedade e entender o motivo que ter personagens negros como centro de histórias é tão importante.

Isso porque, quando a história apaga pessoas pretas, seus problemas e vitórias também ficam escondidos.

Então como vamos combater o racismo se não lembramos de pessoas pretas na nossa rotina?

Com o espaço do protagonismo, vem o espaço de fala para que pessoas pretas possam se expressar e explicar suas histórias.

Tendo consciência dos fatos mencionados acima, vamos para as indicações?

5 filmes com protagonismo negro

Esses filmes, além de serem maravilhosos, vão te fazer refletir um pouco sobre a desigualdade racial na sociedade.

1. Pantera Negra

O filme segue a história de T’Challa, que retorna para Wakanda, o país afrofuturista onde nasceu e do qual é príncipe, para ser coroado rei.

No entanto, o futuro de Wakanda e do mundo é posto em risco quando um inimigo do governo reaparece para testar a liderança de T’Challa como rei e como o herói Pantera Negra.

O longa aborda temas como racismo, discriminação, empoderamento e pertencimento.

A sua importância se reflete no fato de que foi o primeiro longa de super-herói a concorrer ao Oscar de Melhor Filme, em 2019.

A continuação da saga, “Wakanda para Sempre”, está em cartaz nos cinemas.

Você pode assistir “Pantera Negra” no Disney+.

2. A Mulher Rei

A Mulher Rei é um filme lançado em 2022 e estrelado por Viola Davis, que de acordo com os críticos, pode ser indicada ao Oscar por seu papel no longa.

Ele segue a unidade de guerreiras Agojie, composta por mulheres que prootegiam o reino africano de Dahomey nos anos 1800.

Inspirado em eventos reais, o filme acompanha a jornada da General Nanisca treinando uma nova geração de guerreiras.

Além do protagonismo negro, o filme resgata as memórias de grupos que foram apagados pelos livros de história.

Histórias de pessoas pretas foram esquecidas com o passar dos anos, pois apenas as histórias de pessoas brancas eram contadas.

Com esse filme, vemos uma mudança, especialmente por ser um filme majoritariamente estrelado por pessoas pretas.

Além disso, Viola Davis até veio ao Brasil para divulgar o filme!

“A Mulher Rei” ainda está nos cinemas para você assistir, então não perca a chance!

3. Infiltrado na Klan

“Infiltrado na Klan” segue a história de Ron Stallworth, um policial negro que se infiltra na Ku Klux Klan em 1978.

Para que consiga se comunicar com os outros membros, usa telefonemas e cartas e envia outro policial branco em encontros presenciais.

O KKK é um grupo extremista branco terrorista que promovia e promove atos terroristas contra pessoas negras e simpatizantes dos direitos dos negros.

Depois de meses investigando, o policial consegue se aproximar do líder do grupo e sabota vários linchamentos e vários outros crimes de ódio orquestrados.

O filme é baseado no livro biográfico de mesmo nome e você pode assisti-lo no Amazon Prime.

4. 12 anos de escravidão

Lançado em 2013 e dirigido por Steven Mcqueen, “12 anos de escravidão” ganhou o Oscar de melhor filme do ano.

O longa, que se passa em 1841, é baseado na biografia de Solomon Northup, um negro livre que vive com sua esposa e filhos.

No entanto, após aceitar um trabalho em outra cidade, Solomon é sequestrado, acorrentando e vendido como escravo.

Ao longo de 12 anos, o homem passa por dois senhores, que exploram seus serviços e o abusam.

O longa é interessante para você entender como a escravidão afetou o povo africano nos Estados Unidos.

Depois, você pode fazer um exercício de reflexão e pesquisar mais nos livros de história sobre os acontecimentos.

E aí, se interessou pelo filme? Então assista no Star+

5. Cidade de Deus

Quer produção brasileira com protagonismo negro também?

Então você pode assistir “Cidade de Deus”.

Antes de tudo, Cidade de Deus é um filme dirigido por Fernando Meirelles e Kátia Lund.

Na trama, seguimos a rotina de Buscapé, um jovem preto e pobre que cresce na favela carioca Cidade de Deus, um dos locais mais violentos do Rio de Janeiro.

O menino, que cresceu no meio da violência e viu seu amigos se tornarem “traficantes”, foi salvo deste destino pelo seu talento e amor pela fotografia.

Com seu olhar crítico, ele analisa o dia a dia na favela que ele chama de lar.

O filme ensina muito sobre o dia a dia nas favelas e o que as pessoas passam.

Além disso, expõe também o descaso do mundo em relação ao que eles chamam de “favelados”.

O filme está disponível no Paramount Plus.

Conclusão

Esses filmes trazem uma visão muito importante sobre a vida de pessoas pretas e com que elas têm que lidar

Tendo visão disso, é mais fácil praticar o antirracismo.

Por isso, se você tem mais indicações de livros com protagonismo negro, compartilha aqui com a gente nos comentários 👇

E não esquece de repassar esse texto com seus amigos para que eles também façam essa maratona de conscientização!

Beatriz Costa

Beatriz Costa

Redatora na Passei Direto

Comentários

Deixe uma resposta